Aiai Iôiô

10/04/2010

Era realmente uma época de ouro…

Ai, Ioiô
Eu nasci pra sofrer
Fui oiá pra você meus óinho fechô
E quando os óio eu abri
Quis gritar, quis fugir
Mas você
Eu não sei por que você me chamou
Ai, Ioiô
Tenha pena de mim
Meu Sinhô do Bonfim pode inté se zangar
Se ele um dia souber
Que você é que é
O Ioiô de Iaiá
Chorei toda noite
Pensei
Nos beijos de amor que eu lhe dei
Ioiô meu benzinho do meu coração
Me leva pra casa, me deixa mais não

50/50 em outro dia

08/04/2010

Tem 3 dias que isso não sai da minha cabeça.

Fiz um cálculo muito simples de quantos planos eu deixei pra trás (totalmente incompletos ou pela metade). O resultado não foi muito animador. Apesar de ter vivido momentos realmente inesquecíveis, ter realizados alguns sonhos e tudo mais, a quantidade de coisas que simplesmente quis fazer e deixei pra lá é enorme.

A princípio levantei duas hipóteses: 1) ou eu desejo muito e não há tempo para fazer tudo; 2) ou estou deixando tudo para amanhã. Claro que há a alternativa do meio termo entre essas opções.

Simplificando a matemática, quando se quer fazer algo só se tem 2 respostas consequentes: sim ou não. Diante das minhas possibilidades (1 e 2), tentei entender por que os meus 50% estão sempre pendendo pro não.

Será que sempre esperamos que uma notícia trágica nos surpreenda pra podermos, finalmente, corrermos os “riscos” que a vida nos apresenta como condição para a felicidade? Como no filme “As férias da minha vida“, quando: Georgia Byrd (Queen Latifah), uma mulher bastante tímida, após ser diagnosticada como portadora de uma doença terminal, decide mudar radicalmente de vida, ir para a Europa e curtir ao máximo o período que ainda lhe resta de vida. (http://www.adorocinema.com/filmes/ferias-da-minha-vida)

Bem… Eu ainda quero surfar em Bora-Bora, morar numa ilha por um tempo, trabalhar com crianças na África, fotografar o mundo, casar e ter minha própria e ‘verdadeira’ família, ver os Jogos Olímpicos (inclusive os de inverno) e espero que o mundo não acabe em 2012 ou nos próximos 50 anos.