Sabe o que acho incrível nesse meu blog? Que passo meses sem visitá-lo, mas sempre me surpreende a quantidade de momentos da minha vida que ele agrega em forma de posts. É estranho ver que ele possui meus desesperos mais profundos, os medos, os planos…

Estou numa nova fase. Numa fase de planejamento e mudanças, muitas mudanças. Crescer não é fácil. Tornar-se independente é algo realmente assombroso quando se pensa a respeito. Essa transição, essa penetração num mundo adulto real, quando vivida sem K.Ys é muito foda. O “será que vai dar certo?” não sai da minha cabeça!

É um misto, pois além das inseguranças, há uma alegria baseada em desejos conquistados. Vou escolher o fogão que gostaria de ter, a cor das paredes, a ausência de sofás na sala, a disposição pouco ortodoxa dos móveis… Uma casa minha e não mais apenas meu quarto. Isso é fabuloso! Tanto quanto ganhar a primeira bicicleta, tanto quanto mergulhar no mar pela primeira vez!

Anúncios

Quase psicótico

09/08/2010

O homem não nasceu pra voar. Se tivesse nascido para tal feito, seria ave e não mamífero. Ou…, seríamos como os morcegos.

De fato, não sou alguém que vive em busca de adrenalina, pelo menos não através de aventuras que representem perigo a minha integridade física e/ou psicológica! Nunca andei de montanha-russa. Nem de roda gigante eu gosto! Como poderia, então, sentir-me confortável há 11 mil metros de altitude? Muito simples: n-ã-o me sinto! Eu passo verdadeiramente muito mal: de alteração da pressão a delírios.

Nessas férias, viajei para alguns lugares e foi tudo muito bem obrigado, depois reflito sobre.

Como minha “andança” era longa tive que ir e voltar de avião – mais precisamente de GOL (Grande Ônibus Lotado! Literalmente ônibus e lotado… grande nem tanto!). A ida, apesar do desconforto estomacal devido a minha ansiedade e medo crônico, deu-se tranquilamente. Já a volta…  Continue lendo »

chegou a hora

11/07/2010

É amanhã. Na verdade, é depois de amanhã. Mais um dia decisivo num ano repleto de “emoções”. Sinto-me um ioiô de campeonato, não basta ir e voltar, é preciso malabarismo… Fazer o “brinquedo de criança” continuar girando em meio a nós e entrelaçamentos.

É a vida. Faz tempo que aprendi que não adianta brigar com ela; ela depende do tempo e o tempo não volta… E vamos pensar um pouco, mesmo se ele voltasse quem garante que o outro “roteiro” seria “melhor”?

Vamo que vamo, e quase “0” pessoas que visitam o meu blog, torçam por um céu azul entre a madrugada e a tarde de terça-feira em todo o Brasil. Não sou muito fã de altitude.