ex

27/04/2011

Sabe, às vezes não rola mesmo ser amiga de ex. Por mais amor, por mais carinho… É tão difícil! Principalmente se há alguma intenção de se manter uma amizade próxima, aí, colega, fudeu! Mais cedo ou mais tarde alguém vai se magoar novamente só que, agora, dentro de um novo tipo de relação, a amizade.

Quando somos nós os feridos fica muito complicado entender o lado alheio. Fica pior quando as opiniões sobre pontos chave são tão opostas, confusão na certa…

Ai ai!

conto de fadas

31/08/2010

Só acreditamos em finais felizes quando estamos vivendo o nosso, caso contrário ele simplesmente não existe.

#@$@!%*

29/08/2010

Confiança é uma coisa que quando fode de vez…

alguém saberia me dizer quanto tempo posso ficar com a pressão baixa sem ter um treco? Já dura mais de 60 minutos…

editando

eu quase lamento não ser má pessoa… ¬¬

Constatações 1

14/08/2010

Sabe quando temos certeza de que um namoro não valeu a pena?

Quando a melhor¹ coisa de todo o relacionamento foi comer o macarrão que a cozinheira da casa da namorada fazia.

¹ Digo melhor no sentido de ser algo realmente bom e não um arranjo do “há males que vem para o bem”.

Literalmente.

Li novamente os posts do começo do mês 07 (sete), lembrando o meu estado de perdição. Felizmente, por enquanto, os problemas de julho não existem mais. Pensando sobre isso cheguei a conclusão de que o amor é a alegria mais dolorosa da nossa vida!

no N

09/07/2010

É impressionante como pareço ter me apaixonado de verdade. Em outras circunstâncias, era adeus certo. Sem pestanejar, nenhuma hesitação.

Estou tão confuso, meu humor está se alterando tanto e tão rapidamente, não tem se sustentado por mais de 1 hora, à menos que eu esteja – ou tenha que estar – muito concentrado em outra coisa como é o caso; mesmo assim, “fraquejo”…

Tento reestruturar o seu eu dentro da minha imaginação… Meu coração te aceita sem equívocos e/ou contestações; mas minha cabeça, diz ‘não’, não, de novo não!

O medo toma conta mais uma vez, e a confiança que você tinha conquistado em mim aqui jaz, não por descansar para sempre dentro de mim, mas sim por ter falecido dentro do meu quase morto corpo.

Não entendo o processo da mentira, principalmente quando as verdades apareceriam inevitavelmente. O tempo amplifica tudo.

Não demoro a pensar, o problema disso tudo é que não há sobre o que pensar. É um fato para além do consumado e no qual remediações não são possíveis.

Pediria para você consertar meu coração, mas nem sei se ele tem como se curar novamente. Você sabe todas as provações que já passei…

Ao mesmo tempo que desejo ter seu colo, seu abraço, poder dormir onde meus sonhos moram há tanto tempo; sofro com algo que não pode ser chamado de orgulho, nem de mágoa, nem de tristeza, é um ponto de interseção entre os três que transformou o meu “paraíso” no lugar da perdição, mas quem se perdeu fui eu.

Fico imaginando se você irá me procurar. Se irá tentar se aproximar de mim, o que irá fazer pra reconquistar o que tinha uma bandeira com seu nome cravando um pertencimento espontâneo… Penso se a distância com nossos corpos próximos irá prevalecer e se desejarei que isso aconteça…

Eles giram na minha cabeça, todos esses pensamentos amontoados…

Fica só a pergunta: o que vai acontecer, o que vou fazer…

na trilha da…

06/07/2010

Não gosto de ser casa de tempestades.

Tenho certeza que quando foram desenhar o mapa do meu destino, pensaram: vamos montar uma história de cinema; só lamento a escolha do gênero. É drama, e não é só no sentido de “dificuldades”, mas principalmente no grego: não tenho finais felizes.

Uma das tramas seria mais ou menos assim…

Por que você está tão triste
Com lágrimas nos olhos
Venha ficar comigo agora
Não Continue lendo »

pedido do dia…

06/07/2010

Se eu pudesse, desejaria que acalmassem meu coração.

A situação é: você namora, está apaixonado, há maturidade suficiente para manter um relacionamento e, por isso e por outras coisas, este é tranquilo na maior parte do tempo. Até aí ok.

Vez ou outra, acontece aquele pequeno atrito, chatinho e bobinho. Você, então, pensa: “não vou ficar emburrado por uma besteira dessas.” Até pensa, mas não age; fica lá, calado, querendo dizer: “Ah, deixa isso pra lá, não aconteceu nada mesmo”. Mas nãooooooooooo, não! Você tem que bancar o babaca marrento e orgulhoso e continua calado. Vai tomar um banho, examina mais uma vez a “situação” e constata a mesma coisa: não houve nada!

Enfim, essa atitude imbecil, muitas vezes, apodera-se do meu corpo. Felizmente, passado um pouco desse orgulho besta, estando errado ou não, sendo ela a primeira a falar ou não, eu rumino entre dentes um balbuceio: “desculpa qualquer coisa.” Feito isso, parece que todas as palavras passam a sair naturalmente, e tudo aquilo que estava na minha cabeça, o ideal do relacionamento, torna-se presente… . O outro felizmente desse parágrafo, é que essa frescura de rabo não desgasta, não entristece, não chateia de fato, não toma grandes proporções… 

Talvez, no final das contas, essa bobagem toda sirva apenas para fazer um bom de um dengo.

ps: (…) Mas que querer, racionalmente, ter determinadas atitudes e não tomá-las por frescuras emocionais é uma puta falta de sacanagem, ah, isso é!

doces

12/06/2010

Quem não fala de amor no dia dos casais? Poucos e poucas. Até mamãe ganhou presente… Presente da vizinha. O motivo não sei, não especulei, e também não me interessa.

Pra falar de amor, hoje, poderia pensar em doces. Porque é de doces que você gosta mais, e é doce o sabor que você deu a minha vida. É doce, porque dizem que a sobremesa é sempre a melhor parte de uma refeição…

Minha vida é minha dieta e você me estraga o tempo inteiro, fazer o que, é o mais saboroso também.

 

Meus olhos te viram triste
Olhando pro infinito
Tentando ouvir o som do próprio grito
E o louco que ainda me resta
Só quis te levar pra festa
Você me amou de um jeito tão aflito

Que eu queria poder te dizer sem palavras
Eu queria poder te cantar sem canções
Eu queria viver morrendo em sua teia
Seu sangue correndo em minha veia
Seu cheiro morando em meus pulmões
Cada dia que passo sem sua presença
Sou um presidiário cumprindo sentença
Sou um velho diário perdido na areia
Esperando que você me leia
Sou pista vazia esperando aviões

Sou o lamento no canto da sereia
Esperando o naufrágio das embarcações